5ª Feira da Ascensão

5ª Feira da Ascensão
5ª Feira da Espiga, em Portugal
...

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Festa dos três Arcanjos

Hoje, dia 29 de Setembro, a Igreja Católica celebra  os três Arcanjos: São Miguel, São Gabriel e São Rafael.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

21 DE SETEMBRO, DIA MUNDIAL DA DOENÇA DE ALZHEIMER



AMOR MAIÚSCULO
Um homem de idade já bem avançada veio à clínica onde trabalho, para fazer curativo na mão ferida.
Estava apressado, dizendo-se atrasado para um compromisso, e enquanto o tratava perguntei-lhe qual o motivo da pressa.
Ele disse-me que precisava ir a um lar de idosos para, como sempre, tomar o pequeno almoço com a sua mulher que estava ali internada...
Disse-me que ela já lá estava há algum tempo, porque tinha a doença de Alzheimer bastante avançada.
Enquanto acabava de fazer o curativo, perguntei-lhe se ela não se alarmaria, por ele chegar mais tarde.
- Não. Ela já não sabe quem eu sou. Faz quase cinco anos que não me reconhece.
Estranhando, perguntei-lhe:
- Mas se ela já não sabe quem o senhor é, porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs?
Ele sorriu e dando-me uma palmadinha na mão, disse:
- É. Ela não sabe quem eu sou…mas eu contudo sei quem ela é
Ao meus olhos lacrimejaram enquanto ele saía, e pensei:
"Esse é o género de amor que eu quero para a minha vida."
O verdadeiro amor não se reduz ao físico, nem ao romântico. O verdadeiro amor é a aceitação de tudo o que o outro é, do que foi, do que será e... do que já não é..."

Dia de S. MATEUS, Apóstolo e Evangelista



"Naquele tempo, 
Jesus ia a passar, 
quando viu um homem chamado Mateus, 
sentado no posto de cobrança dos impostos, 
e disse-lhe: «Segue-Me». 
Ele levantou-se e seguiu Jesus. 
Um dia em que Jesus estava à mesa em casa de Mateus, 
muitos publicanos e pecadores 
vieram sentar-se com Ele e os seus discípulos. 
Vendo isto, os fariseus diziam aos discípulos: 
«Por que motivo é que o vosso Mestre 
come com os publicanos e os pecadores?» 
Jesus ouviu-os e respondeu: 
«Não são os que têm saúde que precisam do médico, 
mas sim os doentes. 
Ide aprender o que significa: 
‘Prefiro a misericórdia ao sacrifício’. 
Porque Eu não vim chamar os justos, 
mas os pecadores». "
(Mt 9, 9-13)

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

JORNADA DE ORAÇÃO PELA PAZ

«O Santo Padre deseja que o próximo dia 20 de Setembro
seja celebrado por todas as Dioceses do mundo como Jornada de Oração pela Paz, em concomitância com o Encontro Inter-religioso a que Sua Santidade irá presidir marcado para a cidade italiana de Assis nesse dia».
 “Na próxima terça-feira, vou deslocar-me a Assis para o encontro de oração pela paz nos 30 anos daquele histórico [encontro] convocado por São João Paulo II. Convido as paróquias, associações eclesiais e os fiéis de todo o mundo a viver este dia como uma jornada de oração pela paz”, disse, no Vaticano.
Francisco falava perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação da oração do ângelus, que ali acontece semanalmente ao meio-dia de Roma (menos uma hora em Lisboa).
“Hoje, mais do que nunca, temos necessidade de paz nesta guerra que está por todo o lado, no mundo. Rezemos pela paz”, apelou.
O encontro de Assis assinala o 30.º aniversário do primeiro evento do género, promovido pelo Papa João Paulo II; o santo polaco repetiu o gesto em 1993 e 2002.
O agora Papa emérito Bento XVI também promoveu encontros em Assis, em 2006 e 2011.
O Papa Francisco vai encontrar-se esta terça-feira com seis vencedores do Prémio Nobel da Paz e um grupo de 25 refugiados, para além de vários líderes religiosos e culturais.
“A exemplo de São Francisco, homem de fraternidade e de mansidão, somos todos chamados a oferecer ao mundo um forte testemunho do nosso compromisso comum pela paz e a reconciliação entre os povos”, disse hoje o pontífice argentino.
“Terça-feira, todos unidos em oração, que cada um reserve um tempo, aquilo que puder, para rezar pela paz. Todo o mundo unido”, pediu.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Antigo Assistente da Junta Nacional



O padre José Augusto Gonçalves Alves foi eleito Superior Provincial (Visitador) da Província Portuguesa da Congregação da Missão, os padres Vicentinos, serviço que já exerceu entre 2004 e 2010. 
Quando o sacerdote assumir as novas funções vai regressar à Casa Provincial dos Padres Vicentinos, que está desde Julho de 2015 em Lisboa, mais concretamente na Estrada da Luz.
Para além de membro do actual Conselho Provincial, o novo provincial é superior da comunidade do Seminário de S. José, em Felgueiras, sendo também o animador e coordenador das actividades do Centro Vicentino de Evangelização.
O padre José Alves esteve em missão em Moçambique, estudou na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, foi o responsável pela animação vocacional e fez missões populares.
Das várias tarefas pastorais e comunitárias em “quase 46 anos de ordenação sacerdotal” destaca-se a construção, com a comunidade paroquial, da nova igreja da Paróquia de S. Tomás de Aquino, em Lisboa, inaugurada e benzida a 21 de Abril de 1996.
O padre José Alves que tem 70 anos de idade e é natural da Freguesia da Esperança, Concelho de Póvoa de Lanhoso.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Festa da Exaltação da Santa Cruz





Crucem tuam adoramus Domine, resurrectionem tuam laudamus Domine. 
Laudamus et glorificamus. Resurrectionem tuam laudamus Domine.

(Nós adoramos, Senhor, a tua cruz; à tua ressurreição cantamos o louvor.
Louvamos e glorificamos. À tua ressurreição cantamos o louvor.)


segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Jogos Paralímpicos 2016 - Medalha de Bronze para Portugal

Luís Gonçalves ficou em terceiro lugar na prova dos 400 metros T12 (deficiência visual).

O atleta português, que representa o Sporting, já tinha conquistado a medalha de prata na mesma distância nos Jogos Paralímpicos Pequim2008.

Esta é a primeira medalha que Portugal conquista nos Jogos Paralímpicos Rio2016, competição na qual está representado por 37 atletas, em sete modalidades.


Luís Gonçalves, que é campeão mundial da distância, correu a final em 49,54 segundos, terminando atrás do chinês Qichao Sun (48,57), medalha de ouro, e do marroquino Mahdi Afri (49,00), que arrecadou a prata.


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Carta aos diocesanos de Lisboa, no início do novo ano pastoral 2016/2017

"Como há dois mil anos começou o Reino

1. Em Setembro, a vida retoma o seu curso geral, após o chamado “tempo de férias”. Das famílias às escolas, das empresas à sociedade, recuperam-se os ritmos habituais. Também assim nas nossas comunidades, da catequese à liturgia e à acção sociocaritativa. Desejo a todos as maiores felicidades, aos que continuam nos mesmos lugares e serviços e aos que assumem novos encargos, paroquiais e outros.
Tudo isto é um bem, na cadência certa da vida que prossegue. Mas, para quem está no mundo como tantos mais, convém perguntar o porquê da vida eclesial, do que ela significa realmente para os discípulos de Cristo. Não bastaria retomarmos o habitual, mesmo que positivo, como os dias que sucedem às noites, ou a roda das estações do ano.Sim, partilhamos com todos os seres humanos o modo comum de ser e conviver, como o Criador nos sustenta, com deveres e direitos a irmanar-nos e responsabilizar-nos. Mas havemos de o fazer como cristãos, isto é, participantes do Espírito de Cristo e alargando o seu Reino. Permiti-me insistir neste ponto identitário, que julgo particularmente oportuno.Estamos no ano 2016 da era de Cristo, vivendo o que com Ele começou e só com Ele pode progredir. E sempre à sua maneira, tão diferente de qualquer projeto temporal que se impusesse exteriormente ou estabelecesse à força. É natural e positivo que, como cidadãos entre cidadãos, integremos projetos de melhoramento social e procuremos modos de o conseguir sempre mais e melhor, dentro aliás dum legítimo pluralismo de perspetivas e opções. Mas é sobrenatural e necessário que, seguindo a atitude de Jesus Cristo, abramos sempre o ocasional ao definitivo, o princípio ao fim e o tempo à eternidade. Não nos alheamos da realidade, damos-lhe a sua verdadeira dimensão.
Neste sentido, pode dizer-se que o nosso programa essencial está feito há dois milénios. Para leigos, consagrados e clérigos, trata-se de, pela palavra e pelo testemunho, partilhar com cada pessoa e em cada momento a possibilidade propriamente “cristã” de viver. Quando nasce, cresce e morre, que seja com Cristo; quando goze de saúde, a perca ou a recupere, que seja com Cristo também; e o mesmo quando ria ou quando chore, quando trabalhe ou descanse, quando estude e descubra, quando reze e contemple.
Por isso acompanhamos os outros da conceção ao nascimento, do nascimento à maturidade, à velhice, às exéquias e ainda depois. Tal como Cristo o fez, nascendo, vivendo, morrendo e ressuscitando, para assim continuar, através do corpo eclesial que connosco forma, a acompanhar a vida dos outros, abrindo-a em cada etapa à própria vida de Deus. 
Por isso é Pastor, para nos conduzir a pastagens que não secam nunca (cf Sl 23). Por isso há “pastoral” propriamente dita – essa mesma, essencial e constante, na cidade ou no campo, na escola, no hospital ou na prisão, seja onde for, seja para quem for. No ano pastoral que iniciamos, como quando tudo recomeçou há dois milénios, para dar sentido e pleno cumprimento a toda a vida e à vida de todos. Mais do que viver para um futuro possível, o cristão preenche cada momento com a certeza das coisas finais, como Cristo as alcançou e oferece.
(...)"

Convosco, irmão e amigo,

+ Manuel, Cardeal-Patriarca
Lisboa, 1 de setembro de 2016

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Natividade de Nossa Senhora - 8 Setembro

Resultado de imagem para natividade de nossa senhora


A vinda do Filho de Deus à terra, foi preparada, pouco a pouco, ao longo dos séculos, através de pessoas e acontecimentos. Entre as pessoas escolhidas por Deus para colaborarem no Seu projecto de salvação, houve uma, à qual foi confiada uma missão única: Maria, chamada a ser a Mãe do Salvador e cumulada, por isso, de todas as graças necessárias ao cumprimento dessa missão. 
O nascimento de Maria foi, portanto, motivo de esperança para o mundo inteiro: anunciava já o de Jesus. Era a autora da salvação a despontar; «Ela vem ao mundo e com Ela o mundo é renovado. Ela nasce e a Igreja reveste-se da sua beleza». (Liturgia bizantina). 

Felicitando a Mãe do Salvador, no dia do Seu aniversário natalício, peçamos a graça de à Sua semelhança, colaborarmos, generosamente, na salvação do mundo.

in: http://www.liturgia.pt/santos/santo_v.php?cod_santo=149

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

MADRE TERESA DE CALCUTÁ



 
O Vaticano anunciou hoje que a canonização de Madre Teresa de Calcutá vai ser celebrada a 4 de Setembro, pelas 10h30 de Roma (menos uma em Lisboa), sob a presidência do Papa Francisco na Praça de São Pedro.
Na mesma data vai ser celebrado o Jubileu dos Voluntários e Trabalhadores da Misericórdia, 
Em Dezembro de 2015 foi anunciado que o Papa aprovou um milagre atribuído à intercessão da Beata Teresa de Calcutá, vencedora do Prémio Nobel da Paz em 1979.
A Congregação para a Causa dos Santos (santa Sé) concluiu em Julho de 2015 as investigações sobre a cura miraculosa de um homem brasileiro, de 35 anos, afectado por uma grave doença no cérebro, que se curou de uma forma tida como inexplicável.
Ganxhe Bojaxhiu, a Madre Teresa, nasceu em Skopje (Macedónia), pequena cidade com cerca de vinte mil habitantes então sob domínio otomano, a 26 de Agosto de 1910, no seio de uma família católica que pertencia à minoria albanesa, no sul da antiga Jugoslávia.
A 25 de Dezembro de 1928 partiu de Skopje rumo a Rathfarnham, na Irlanda, onde se situa a Casa Geral do Instituto da Beata Virgem Maria, para abraçar a Vida Religiosa, com o ideal de ser missionária na Índia.
Acabou depois por embarcar rumo a Bengala, passando por Calcutá até Dajeerling, numa casa da Congregação fundada pela missionária Mary Ward, onde escolheu o nome de Teresa.
Madre Teresa absorveu o estilo de vida bengali e, posteriormente, transmitiu-o às suas religiosas, quando fundou as Missionárias da Caridade.
O seu trabalho nas ruas de Calcutá centrou-se nos pobres da cidade que morriam todas as noites, vestida com um sari branco, debruado de azul, a imagem com que o mundo se habituou a vê-la.
Rapidamente as Missionárias da Caridade chegaram a milhares de religiosas em 95 países.
Quando visitou a Índia, em 1964, Paulo VI recebeu pessoalmente Madre Teresa e 22 anos depois João Paulo II incluiu, no programa da viagem apostólica àquele país, uma visita à «Nirmal Hidray» - a “Casa do Coração Puro” – fundada pela religiosa e conhecida, em Calcutá, como a “Casa do Moribundo”.
A futura santa esteve três vezes em Portugal, a acompanhar os primeiros passos da Congregação das Missionárias da Caridade.
A religiosa faleceu a 5 de Setembro de 1997, na casa geral da congregação que fundou, em Calcutá, aos 87 anos de idade.
Foi beatificada por João Paulo II a 19 de Outubro de 2003, depois de o Papa polaco ter autorizado que o processo decorresse sem esperar pelos cinco anos após a morte exigidos pela lei canónica.
A canonização, ato reservado ao Papa desde o século XIII, é a confirmação, por parte da Igreja Católica, que um fiel católico é digno de culto público universal (os beatos têm culto local) e de ser apresentado aos fiéis como intercessor e modelo de santidade.