5ª Feira da Ascensão

5ª Feira da Ascensão
5ª Feira da Espiga, em Portugal
...

sexta-feira, 12 de setembro de 2014





Deus de bondade infinita, cujo Filho Unigénito, ao morrer na cruz, nos quis dar como nossa Mãe a Virgem Santa Maria, que Ele escolhera para sua Mãe, fazei que, pela invocação do seu nome, sintamos o auxílio da sua materna protecção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 
que é Deus convosco 
na unidade do Espírito Santo.


Seja!

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Los Angeles


Los Angeles foi fundada em 4 de setembro de 1781, em nome da Coroa de Espanha, pelo governador espanhol Dom Felipe de Neve, com o topónimo 
El Pueblo de Nuestra Señora la Reina de los Angeles del Río de Porciúncula 
(A Vila de Nossa Senhora, Rainha dos Anjos do Rio de Porciúncula).

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Portuguesa criou adesivo que salva bebés



Foto: DR
21-08-2014 6:00 por Ricardo Vieira

Uma ideia que pode ajudar a salvar bebés com problemas cardiovasculares valeu à cientista portuguesa Maria Pereira um lugar na lista dos jovens mais inovadores do mundo, elaborada pela revista "MIT Technology Review".
"É uma honra pelo reconhecimento do trabalho que foi feito e claro que é importante ser distinguida nesta lista. Fiquei surpreendida e muito contente", disse à Renascença a investigadora, de 28 anos, que actualmente desenvolve a sua actividade em Paris.
Maria Pereira é a primeira cientista portuguesa a integrar a lista de inovadores com menos de 35 anos da "MIT Technology Review" pelo seu trabalho no campo da biotecnologia e medicina e desenvolvimento de uma tecnologia com capacidade para transformar o mundo. 
Adesivo para "pequenos buraquinhos no coração"
maria licenciou-se em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de Coimbra, integrou o projecto MIT Portugal e rumou aos Estados Unidos. Em Boston, ajudou a criar um adesivo que pode ser aplicado nos bebés (seis em cada mil) que todos os anos nascem com problemas cardiovasculares.
A investigação envolveu uma equipa multidisciplinar de médicos e cientistas e contou com a colaboração de várias instituições, como o Brigham & Women’s Hospital e o Children’s Hospital de Boston.
"Primeiro, identificou-se o problema e, depois, surgiu a ideia de desenvolver estes adesivos” para fechar os “pequenos buraquinhos no coração" dos bebés e restabelecer a circulação sanguínea, explica Maria Pereira.

in http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=159526#.U_4G1ZWrPfI.facebook