5ª Feira da Ascensão

5ª Feira da Ascensão
5ª Feira da Espiga, em Portugal
...

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Em 1914, a «Obra da Protecção» foi inovadora. Os seus fundadores tiveram a visão intuitiva das exigências dos tempos modernos. Desde então, acompanha o avanço da ciência, da técnica e dos meios de comunicação social.
Hoje, 26 de Maio de 2010, (e já não é sem tempo…) a ACISJF criou um blogue na internet, fazendo votos para que seja divulgado e utilizado.

A Presidente da Junta Nacional

Maria da Conceição Affonceca

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Serviço de Consultoria Social - FERRAGIAL

Vocacionado para o acolhimento, pretende ser um serviço de orientação e encaminhamento, assumindo como missão ajudar e orientar quem tiver um problema e não souber onde deve dirigir-se, quer por não conhecer a existência do organismo apropriado, quer por não saber como lá chegar, ou como fazê-lo.
Seja uma questão económica (pedido de subsídios, ou mal-entendidos com instituições), escolar (orientação de jovens no final do secundário, ou lidar com a tentação de abandonar os estudos), familiar (mediação familiar), de migrações, habitacional, do foro pessoal, ou outra, o FERRAGIAL dispõe-se a tentar dirigir no caminho da melhor solução possível.

terça-feira, 18 de maio de 2010

A nossa Associação

A Associação Católica Internacional ao Serviço da Juventude Feminina (ACISJF), criada na Suíça em 1897, existe em Portugal desde 1914. Destina-se a acolher, orientar e apoiar raparigas, de qualquer credo ou raça e acompanhá-las na sua promoção e valorização, para total desenvolvimento das suas capacidades.
No edifício legado à ACISJF em 1942, funciona a Junta Nacional da Associação, e também um Self-Service aberto ao público. Espaço acolhedor, onde se serve comida caseira, e onde desejamos proporcionar a todos os que o frequentam um ambiente sereno, de formação contínua.
Hoje, ponderando a missão que sempre assumimos, procuramos encontrar novas formas de Acolher, Orientar, Acompanhar, Valorizar, Educar e Colaborar.
As exigências e adversidades que encontramos são bem diferentes das que conhecíamos no início, e até no fim do século passado.
Constatamos que , não só as raparigas, mas todas as pessoas, podem, aqui beneficar de um apoio, de uma orientação, de uma ajuda humana e próxima.