Este é o Tempo

Este é o Tempo

ESTE É O TEMPO PARA ESPERAR CONTRA TODA A ESPERANÇA, PARA TRABALHAR PELA JUSTIÇA E PELA PAZ, PARA AMAR AS PESSOAS, PARA AMÁ-LAS UMA A UMA

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Familiarmente Falando



“Em 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o dia 25 de Novembro como o Dia Internacional para a Eliminação de Todas as Formas de Violência contra as Mulheres(Resolução 54/134) e convidou os governos, organizações internacionais e ONG a organizarem actividades nesse dia, como forma de chamar a atenção do público para o problema.

Desde o dia 1 de Janeiro de 2008, a responsabilidade pela manutenção do Comité para a Eliminação da Discriminação contra as Mulheres é do  Gabinete do Alto Comissário para os Direitos Humanos em Genebra.
A  Assembleia Geral das Nações Unidas criou , em 1979, a  Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (CEDAW). A Convenção define a discriminação contra as mulheres como sendo  "... qualquer distinção, exclusão ou restrição com base no sexo, que tenha o efeito ou propósito de impedir ou anular o reconhecimento, gozo ou exercício pela mulher, independentemente do seu estado civil, em condições de igualdade entre homens e mulheres, dos direitos humanos e das liberdades fundamentais no domínio político, económico, social, cultural, civil ou qualquer outro. "A discriminação sobre as mulheres assume várias formas  de violência e decorre em diferentes espaços: o Privado - em casa -  e em Público - no trabalho -. Nos diferentes momentos da vida, em criança (quando obrigada a  práticas desadequadas à sua idade, por exemplo,  em países que permitem o casamento de jovens/crianças (mulheres) que, muitas vezes,  as levam à morte. Na juventude, com a violência exercida no namoro (violência doméstica). Na idade adulta, aquando da vivência do casamento, e que, por vezes, se estende à 3ª idade.
No dia 25 de Novembro, a ACISJF - Associação Católica Internacional ao Serviço da Juventude Feminina -  associa-se a esta causa, através de uma Acção de Sensibilização, que contará com a presença de uma Técnica de Apoio à Vítima,  no  Centro de Acolhimento em Sintra, onde será disponibilizada informação sobre o tema.  A ACISJF recorda que o fenómeno  da violência contra as mulheres começa, muitas vezes, no lugar que  seria, por excelência, de segurança - a sua própria  casa -  a denominada violência doméstica, e que  abrange transversalmente vítimas de diferentes estratos sociais, classes económicas, habilitações académicas e zonas de residência, entre outras... De acordo com os dados da APAV, “as mulheres representam mais de 81% das pessoas atendidas na sua rede nacional de 15 Gabinetes de Apoio à Vítima.”
Contactos:
Ø  ACISJF: Centro de Acolhimento de Sintra
- Rua Dr. Câmara Pestana, Edificio Sintra, Lj 11
             e-mail: acisjf.sintra@gmail.com          Telefone: 219 242 069
Ø  Linha Nacional de Emergência Social 144 (Chamada gratuita e disponível 24h/dia)
Ø  Serviço de Informação às Vítimas de Violência Doméstica
 (Número Verde Gratuito 800 202 148)
Ø  Linha de Apoio à vítima: dias úteis, das 09h às 19h (Chamada gratuita:116 006)

Sandra Alves- Mediadora Familiar